25 de junho de 2010

Sonrie - 1989

video

23 de junho de 2010

Si me vas a olvidar - 1989

video

13 de junho de 2010

Roberto Carlos - Família

Soberano
A família, os amores, os amigos e a fé do Rei

Dono de um carisma incomum, que só ocorre com pessoas iluminadas, Roberto Carlos tem uma vida de sucesso ao mesmo tempo em que enfrenta grandes dramas como o acidente na infância, o problema de visão do filho e as mortes de Nice e de Maria Rita, suas ex-mulheres.

Durante os próximos dias, vamos ver as matérias publicadas na Revista Contigo! em homenagem aos 50 anos de música de Roberto Carlos...

O gosto pela música nasceu dentro de casa

No dia 19 de abril de 1941, a cidade de Cachoeiro de Itapemirim, no Espírito Santo, serviu de berço para o nascimento do homem que viria a ser o maior astro da música popular brasileira, Roberto Carlos Braga. Filho do relojoeiro Robertino Braga e da costureira Laura Moreira, Zunga, como foi apelidado, é o caçula de quatro irmãos - Lauro Roberto, Carlos Alberto e Norma.

Ainda criança, Roberto já manifestava interesse pela música. Foi com a mãe que teve as primeiras aulas de violão e piano. Mais tarde, continuou os estudos no Conservatório Musical de Cachoeiro. Aos 9 anos, teve sua primeira oportunidade para se apresentar em público, num programa infantil da Rádio Cachoeiro e fez bonito. Estava dada a partida rumo ao sucesso.

Aos 10 anos de idade, porém, um acidente quase pôs fim à promissora carreira. Ele foi atropelado por um trem em sua cidade natal e teve parte da perna amputada. Até hoje ele usa uma prótese, mas evita falar no assunto. Roberto sempre manteve sua vida pessoal afastada dos holofotes e nunca permitiu a exposição dos filhos. Ao se casar com Nice, assumiu a paternidade de Ana Paula e teve Segundinho e Luciana. Em 1991, reconheceu Rafael Torres como seu herdeiro.

:: Quando Roberto nasceu, a família Braga morava numa casa modesta, de três quartos, no alto de uma ladeira, no bairro Recanto.

:: Ele sempre foi uma criança alegre, que gostava de andar de bicicleta, empinar pipa e jogar futebol com os amigos.

:: Outra de suas atividades preferidas era tomar banho nas águas do Rio Itapemirim, onde ia acompanhado dos irmãos e do pai, com quem aprendeu a pescar, hábito que manteve quando adulto.

:: Quando criança, o Rei tinha adoração por sua única irmã, e foi nessa época que ele a apelidou carinhosamente de Norminha.

:: Desde muito pequeno, Roberto passava horas ouvindo rádio e já demonstrava um enorme interesse musical.

:: Aos 6 anos, foi matriculado no colégio de freiras Jesus Cristo Rei. Anos mais tarde, já na época da Jovem Guarda, sua segunda professora do Cristo Rei, Irmã Fausta, lhe deu o medalhão que ele usou pendurado no pescoço durante muitos anos.

:: Roberto era fã de Bob Nelson, um artista brasileiro que se vestia de caubói e cantava músicas country em português.

:: Todas as vezes que o Rei ia cantar na rádio local, em Itapemirim, sua mãe, dona Laura, fazia questão de arrumar o filho com roupas feitas por ela mesma.

:: O prêmio por ter vencido o concurso infantil na Rádio Cachoeiro foi um punhado de balas. Mas, depois de sua vitória, tornou-se presença assídua durante todos os domingos no programa.

:: Em janeiro de 1955, o adolescente Roberto Carlos não escondia sua vontade de alcançar o sucesso, tentar a vida na cidade grande e alçar voos maiores. Foi quando ele foi passar férias em Niterói (RJ), na casa de sua tia Jovina, já com o intuito de participar de alguns programas de rádio que davam oportunidades para novos cantores. Com a aprovação e o incentivo de seus pais, ele acabou se mudando para lá.

:: Homenageou a mãe - a maior incentivadora de sua carreira - ao compor Lady Laura, em 1978.

:: Seu pai, Robertino, foi quem lhe deu o primeiro violão, aos 17 anos, no qual Roberto compôs muitos sucessos. Ele faleceu em janeiro de 1980, aos 83 anos. Em homenagem ao pai, Roberto compôs a música Meu Querido, Meu Velho, Meu Amigo em 1979.

:: Em 1991, o cantor reconheceu a paternidade de Rafael Torres Braga, já com 25 na época, filho de Roberto com a fã Maria Lucila, de Belo Horizonte, Minas Gerais.

:: O acidente que sofreu na infância foi tema de diversas composições do cantor, como na música O Divã (1972).

:: O cantor homenageou a pacata cidade onde nasceu ao gravar a música Meu Pequeno Cachoeiro, composta por Raul Sampaio.

:: O Rei sempre fez questão de participar da educação dos filhos e até hoje, quando procurado por eles, assume a função de conselheiro sentimental.

:: De acordo com Segundinho, Roberto, como avô, é muito mais liberal do que como pai. Roberto Carlos tem quatro netos.

- Revista Contigo!

12 de junho de 2010

Roberto Carlos - Amores

Roberto Carlos, ídolo da Jovem Guarda, podia escolher a mulher que quisesse já no começo dos anos 60. Discreto, ele teve seus romances com fãs e até colegas, como Rosemary e Wanderléa, mas nunca deixou esses casos virem à tona. Até que, em 1967, assumiu seu compromisso com Cleonice Rossi, que conheceu nos bastidores da TV.

O casamento aconteceu em 1968, em Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, já que Nice era desquitada e naquela época ainda não existia o divórcio no Brasil.

O casamento terminou de forma amigável em 1979. E naquele mesmo ano, Roberto se encantou com Myrian Rios. Atriz em início de carreira, ela não acreditou quando foi acordada por um telefonema do Rei propondo um encontro. Dali para irem morar juntos foi um pulo, e o relacionamento, marcado por momentos de felicidade e crises de ciúme, terminou em 1990.

O Grande Amor


No ano seguinte, Roberto Carlos viria reencontrar aquela que seria o grande amor de sua vida, Maria Rita. Eles se conheceram em 1977, quando ela tinha 16 anos e estava impedida pela família de assumir um romance com um homem mais velho como o Rei. Mas em 1991 o momento era outro e o casal não teve barreiras para viver um caso sério, com os dois indo morar juntos no apartamento dele na Urca, no Rio de Janeiro, em 1992, e oficializando a união em 1996 com uma cerimônia de casamento para poucas pessoas.

Depois de perder sua mulher para o câncer em 1999, Roberto se entregou ao luto e pouco se viu ou se ouviu sobre namoradas. Mas, comemorando o meio século de carreira, ele sorri novamente, e há quem aposte que o Rei em breve deve assumir um novo amor.

:: No início de seu romance com Roberto, Nice teve uma adversária de peso, Lady Laura. A mãe do Rei teria implicado com a futura nora por ela ser desquitada e já ter uma filha, Ana Paula.

:: Uma das primeiras músicas que Roberto compôs para Nice foi Meu Grito, que virou sucesso na voz de Agnaldo Timóteo em 1967. Ela também foi a musa inspiradora de Como É Grande o Meu Amor por Você, Por Isso Corro Demais e De Que Vale Tudo Isso, entre outras.

:: Mesmo separados, Roberto ficou ao lado de Nice quando ela descobriu que estava com câncer. Ele deu todo o apoio até a morte dela, em 1990.

:: Há duas versões sobre a música Namoradinha de um Amigo Meu. A primeira diz que foi feita sob encomenda e a segunda teria como musa inspiradora Maria Stella Splendore, que na época era casada com o estilista Dener.

:: Pouco antes de conhecer Roberto Carlos, Myrian Rios posou nua para dois ensaios, mas, depois que passaram a viver juntos, o Rei comprou os direitos dessas fotos para impedir que fossem republicadas.

:: Na música A Atriz, que compôs para Myrian Rios, Roberto fala do ciúme que sentia ao ver sua mulher contracenando com Paulo Castelli na novela Ti-Ti-Ti (1985).


:: Foi a filha de Nice, Ana Paula, quem apresentou Maria Rita, então com 16 anos, a Roberto Carlos.

:: Maria Rita costumava se referir ao marido como ''bonitinho''.

:: Depois que se casou com o Rei, Maria Rita só colocou roupas nas cores azul e branco no seu guarda-roupa, seguindo as preferências do marido.

:: Para homenagear Maria Rita, Roberto Carlos construiu um jardim ao lado de seu estúdio, na Urca, Rio de Janeiro, onde escolhe pessoalmente as plantas, entre elas roseiras, marias-sem-vergonha e manacás.


Revista Contigo!

11 de junho de 2010

Roberto Carlos faz show sábado, em Porto Alegre

Como presente para o Dia dos Namorados, Roberto Carlos faz show em Porto Alegre neste sábado. O Rei se apresenta no Gigantinho às 21h.

A Rupestre Turismo, de Caxias, está organizando uma excursão para quem quiser curtir o show do Rei. A saída será às 16h de sábado e o pacote completo, que custa R$ 119, inclui ingresso de arquibancada e transporte em micro ônibus executivo. Informações pelo 3202.1575.

Os ingressos custam: R$ 60 (arquibancadas), R$ 90 (perpétuas/locadas), R$ 150 (cadeira não numerada amarela), R$ 200 (cadeira azul lateral) e R$ 280 (cadeira azul central), à venda na Capital: Bourbon Shopping Ipiranga (Av. Ipiranga, 5.200) e Bourbon Shopping Country (Túlio de Rose, 100). Há também ingressos no site www.ingressorapido.com.br .

Roberto Carlos - Amigos

Admirado inclusive pelos colegas de profissão, Roberto fez muitas amizades no meio artístico

Ele sempre foi um homem reservado e avesso a badalações. Por isso, só os seus familiares e amigos mais próximos têm o privilégio de desfrutar sua companhia e intimidade. São pessoas escolhidas a dedo pelo Rei e pelas quais ele cultiva um grande carinho. Talvez esse seja um dos motivos de Roberto Carlos ser frequentemente homenageado pela classe artística, com quem mantém um ótimo relacionamento.

Foi assim na festa que comemorou seus 50 anos de carreira, quando 20 divas da música brasileira o reverenciaram e interpretaram alguns de seus maiores sucessos. Entre elas estavam a eterna Ternurinha, Wanderléa, Alcione, Rosemary, Ivete Sangalo e Hebe Camargo. Todas suas admiradoras e algumas amigas de longa data, que fazem parte de sua história e dividem alegrias e tristezas. É o caso de Hebe. A apresentadora esteve ao lado de Roberto durante um dos momentos mais difíceis de sua vida: a luta de sua ex-mulher Maria Rita contra o câncer.


Irmão Camarada

Muitos de seus amigos já não estão mais aqui, mas marcaram igualmente a trajetória do Rei. Elis Regina é uma delas - ferrenha adversária de Roberto nos anos 60 -, rendeu-se a seu carisma e chegou a gravar algumas de suas músicas. Mas se tratando de amigos, um tem lugar especial na história de Roberto: o tremendão Erasmo Carlos.

Os dois se conheceram em meados de 1958, no Colégio Ultra, no Rio de Janeiro, e a identificação foi quase instantânea. Eles passaram a compor juntos e formaram uma das mais conhecidas dupla do país. Com o passar dos anos, construíram uma amizade sólida - cantada na música Amigo, de 1977 - que dura até os dias de hoje.

Outras amizades, como a com o cantor e compositor Caetano Veloso, também começaram há anos e persistem até hoje. Em 1968, quando havia uma disputa entre Jovem Guarda e Bossa Nova, Caetano impressionou Roberto dizendo que tinha passado a ver o ritmo alucinante do iê-iê-iê com outros olhos após ouvir suas músicas. Nascia ali uma amizade e mais músicas vieram. Ao visitar o amigo no exílio, em Londres, o Rei compôs a música Debaixo dos Caracóis dos Seus Cabelos (1971) em sua homenagem. A gentileza foi retribuída com Como Dois e Dois (1971), Muito Romântico (1977) e Força Estranha (1978).

:: Em 1977, Roberto Carlos e Pelé cantaram juntos a música O Mundo É uma Bola.

:: Seus músicos trabalham com ele há mais de 30 anos. Roberto não gosta de demitir ninguém e trata cada um como se fosse de sua família.

:: Em 2008, Ana Paula - enteada de Roberto que ele considera como filha - casou-se com o músico Paulinho Coelho, guitarrista de sua banda. Anos antes, ela havia namorado o cantor Antônio Marcos e causado a ira do Rei, que não aceitou o namoro.

:: Roberto Carlos e Caetano Veloso subiram ao palco para um show em 2008, em uma homenagem ao maestro Tom Jobim e aos 50 anos da Bossa Nova.

:: Dos 33 especiais apresentados por RC na TV Globo, o amigo de fé, Erasmo Carlos, participou de 25.


- Revista Contigo!

10 de junho de 2010

Roberto Carlos vai a shopping em Los Angeles

Cantor aproveitou brecha na agenda de shows para fazer compras.


Já pensou o que aconteceria se Roberto Carlos entresse em um shopping center no Brasil para fazer umas comprinhas? No mínimo, caos completo, né? Mas nos Estados Unidos, onde esteve para apresentar alguns show de sua turnê comemorativa de 50 anos de carreira, o cantor se deu a esse luxo.


No domingo, 31, em Los Angeles, o “Rei” - que estava acompanhado do irmão, Carlos Alberto, e da cunhada, Fátima - olhou algumas camisas e, ao final do passeio, se deteve em uma loja de carros, diante de uma Ferrari. Será que ele está pensando em trocar o bom e velho calhambeque?

Globo.com



Beija-Flor confirma Roberto Carlos em Nilópolis


Está confirmada a visita de Roberto Carlos na quadra da Beija-Flor no dia 16 de junho. O empresário do cantor afirmou que Roberto estará com os compositores da azul-e-branca a partir das 20h30, hora prevista para a entrega da sinopse sobre o enredo "A Simplicidade de um Rei".

De acordo com Laíla, diretor de carnaval da Beija-Flor, a ida de Roberto Carlos a Nilópolis é um desejo do cantor, que quer conversar com os compositores sobre alguns detalhes do enredo sobre a sua vida e obra.

E nesta quarta-feira Laíla terá um encontro com os compositores na quadra para a leitura da sinopse, porém o material só será entregue no dia 16 de junho. O objetivo é fazer uma explanação do tema neste primeiro bate-papo. Durante a visita de Roberto Carlos à agremiação a quadra estará aberta à comunidade de Nilópolis e provavelmente haverá muita movimentação e barulho no local, o que prejudicaria o entendimento do enredo.

Laíla também adiantou que pedirá aos compositores por sambas mais alegres e vibrantes para que todo o público cante o hino da agremiação em 2011.

Roberto Carlos - Fé

A religiosidade acompanha o Rei desde a infância mas se intensificou na época de Maria Rita.

O pai, seu Robertino, era espírita, e a mãe, dona Laura, católica. A primeira escola, Jesus Cristo Rei, de Cachoeiro de Itapemirim, era de freiras. Por opção dos pais, o próprio Roberto Carlos pôde escolher e, aos 23 anos, já ídolo da Jovem Guarda, decidiu ser batizado na Igreja Católica, tendo como padrinho o bancário Renato Spindola e Castro, o homem que o socorreu no acidente de trem que lhe custou a amputação da perna.

Na ocasião do nascimento de seu filho Segundinho, assim que foi diagnosticado o grave problema de vista do garoto, Roberto chegou a procurar os espíritas Chico Xavier e José Arigó em busca de soluções. Houve até a possibilidade de tratamento segundo a doutrina, mas o Rei preferiu, seguindo a orientação do próprio Arigó, levar o menino para um médico especialista na Holanda. Essa fase de fé ficou marcada pela música Jesus Cristo, gravada no disco de 1970.

Nessa mesma época, em uma entrevista para o jornal O Pasquim, Roberto se assumiu como católico não praticante. Mas as músicas de teor religioso passaram a fazer parte de seu repertório, como Todos Estão Surdos e A Montanha. Sem fanatismo, ele chegou a regravar Quero Que Vá Tudo pro Inferno no disco de 1975, canção que viria a evitar depois por causa da menção ao inferno.

Roberto Carlos e o Papa

No fim da década de 70, a identificação de Roberto Carlos com o catolicismo se intensificou depois que o papa João Paulo II foi recepcionado no México por um coral de crianças cantando a música Amigo. Nos anos 80, pelo menos dois fatos marcaram a postura religiosa do Rei. O primeiro foi a recusa de gravar Se Eu Quiser Falar com Deus, que Gilberto Gil compôs especialmente para ele, alegando que a letra não correspondia com sua idéia de Deus. O segundo foi o apoio que deu à censura do governo militar ao filme Je Vous Salue, Marie, de 1985, que o indispôs com artistas mais progressivos como Caetano Veloso.

Mas foi ao iniciar seu relacionamento com Maria Rita que Roberto passou a se dedicar mais abertamente ao catolicismo. Essa fase se reflete em músicas como Nossa Senhora, Jesus Salvador e O Terço e, principalmente, no disco Mensagem, de 1999, no qual só gravou canções de fundo religioso. Com a mulher, o Rei começou a frequentar grupos de reza, casou-se na igreja e até cantou para o papa João Paulo II na visita que fez ao Brasil em 1997. Mas a viuvez, acompanhada publicamente pelo seu semblante de tristeza e dor, o fez questionar sua fé. Não, ele não a perdeu, mas entendeu que nem sempre ela move montanhas.

:: Logo que começou a fazer sucesso, Roberto recebeu da irmã Fausta, sua professora no Colégio Jesus Cristo Rei, o medalhão com a imagem do Sagrado Coração de Jesus, que marcou o seu visual.

:: O cineasta Paulo César Saraceni pensou em Roberto para protagonizar o filme Anchieta, José do Brasil, de 1977, por causa da identificação do cantor com a religião, mas o Rei não aceitou o convite.

:: Por causa do problema de Segundinho com a visão, Roberto Carlos tornou-se devoto de Santa Luzia, a protetora dos olhos, e todos os anos, no dia dela, vai à missa na Igreja de Santa Luzia, no Rio.

:: Outro ritual anual é reunir a família na Igreja Nossa Senhora do Brasil, na Urca, Rio, para uma missa em homenagem a Maria Rita.

:: Na visita do papa João Paulo II ao Brasil, em 1997, o cantor pediu e o pontífice abençoou dois terços para ele.

:: No enterro de Maria Rita, em 1999, Roberto pediu que o caixão fosse reaberto para ele colocar nas mãos dela um terço que ganhou do padre Marcelo.

:: O Rei tem uma capela em seu estúdio, onde frequentemente se isola para rezar.

:: Em sua obra, os termos religiosos ''Deus'', ''Jesus'' e ''luz'' são os que mais aparecem.

Revista Contigo!

Compartilhe com seus amigos!

Related Posts with Thumbnails